Amanda Costa

Astrologia Poética

Drops Astrais

o ano de 2020:
08/06/2020

NA GLOBAL ALDEIA OS HUMANOS DANÇAM A MANDALA DA REINVENÇÃO - uma reflexão sobre as configurações astrológicas e o momento atual
(por Amanda Costa)

Em um parto natural, quando o bebê está quase nascendo e começa a aparecer sua cabeça na entrada da vagina, ocorre o que é denominado “coroar” ou “coroamento”. Linda relação do momento solar que é o nascimento e a analogia com a forma da coroa de luz do Astro-Rei, em torno do qual gira o sistema de que fazemos parte. A palavra coroa vem do latim “corona”, nome dado a este vírus que vem sacudindo nosso atribulado planeta desde o final do ano 2019. Atenta às sincronicidades entre eventos, não vejo como não fazer a relação simbólica com a experiência coletiva que estamos atravessando. Um parto, movimento de partir, cortar, findar um ciclo e começar um novo ciclo. Para que o novo nascimento aconteça e possamos respirar e entrar na vida há que coroar, precisamos ser ungidos pela luz da consciência.

O corpo de nossa Mãe Terra vem sendo castigado por nossa espécie predatória e tem nos enviado várias mensagens, mas como os seus filhos humanos andam imersos na cegueira do poder e da ganância, o recado veio com mais força. O mundo é grande, mas é um só. Não há intocáveis, o vírus se alastra rapidamente, não distingue território, raça ou classe social e atinge inclusive aqueles que louvam ao Senhor Dinheiro. Uma das particularidades deste vírus é o modo de transmissão. O que faz com que se espalhe tanto e com tanta velocidade é sua materialidade, pois além de ser transportado por secreções respiratórias também ocorre por contato das mãos com superfícies de diversos tipos, nas quais adere por várias horas. Ou seja, gruda na matéria. Metáfora gritante! De tanto viver pela matéria, ficamos escravizados e podemos morrer através dela. Precisamos nos desgrudar e nos libertar do que nos prende e adoece. Esse problema global mostra que muros e fronteiras não nos separam nem protegem, expôs nossa fragilidade e precariedade.

As configurações planetárias atuais apresentam a concentração de planetas em signos de elemento #Terra, especialmente um aglomerado em #Capricórnio: #Plutão, o planeta do poder, da transformação e dos processos de morte e renascimento (2008 a 2023); #Saturno, astro regente de Capricórnio, que corresponde a limite, estrutura, contenção, tempo e duração (2018 a 2020). #Júpiter, ligado à expansão, crescimento, abundância (de dezembro de 2019 a dezembro de 2020). E, recentemente, #Marte, que representa impulso, decisão, luta (de 16/2 a 30/3). Também neste elemento, porém no signo de #Touro, está o planeta #Urano, relacionado a mudança, ruptura e libertação (junho de 2018 até 2025). Essas forças, associadas, formam o pano de fundo do ano de 2020.

Além da ênfase neste elemento, há vários momentos de aproximação entre os astros em Capricórnio, assinalando o aspecto de conjunção, em que suas forças se somam. Os signos de Terra, além da relação com a #materialidade, com as coisas concretas e objetivas, também se ligam à economia e à política. Urano em Touro aponta para revolução de valores e mudança nas relações de trabalho e produção. O trânsito de Plutão por Capricórnio, sobretudo, remete ao processo de transformação do sistema capitalista em curso.

É evidente que chegamos a um limite, a uma saturação, estamos ultrapassando o limiar de resiliência do nosso querido planeta Terra, cuja natureza vem sendo constantemente agredida e abusada. Os agentes de extinção em massa somos nós, como um vírus. E agora estamos em guerra com outro vírus. Precisávamos ser contidos, freados em nossa loucura. Limite. Há que desligar o antigo sistema para reiniciar em uma outra forma. O grão precisa morrer para dar frutos.

Quando o Covid-19, o novo Coronavírus, começou a se manifestar, em 2019, havia uma configuração de embate entre #Júpiter, expansão, e #Netuno, o ilimitado. Uma associação rara entre esses planetas em signos de sua regência, #Sagitário e #Peixes, respectivamente. Como Netuno tem um ciclo de 164 anos é bem difícil haver este contato com Júpiter, ambos domiciliados. Netuno é um astro que historicamente está presente em epidemias, contágios, intoxicações etc. Como um mar que se derrama e não respeita represas. Tal configuração é coerente com o crescimento exponencial observado. A boa notícia é que, durante 2020, com Júpiter em #Capricórnio, temos uma associação mais cooperativa entre esses dois astros, já ocorrida em fevereiro (quando começaram os bons resultados das pesquisas na busca de remédios) e que se repetirá entre os meses de julho e outubro. É uma perspectiva bastante alentadora.

É muito importante termos esperança, mas é imprescindível agir de modo prático. Seguindo o trajeto dos astros, a energia capricorniana aparece como uma limitação: pare. Fique em casa. A casa é o lugar do signo oposto a Capricórnio, que é #Câncer, ligado ao lar, à família, às origens, à intimidade, ao acolhimento e ao nosso mundo pessoal. Hora de se reencontrar consigo e com os seus, de se cuidar, de se interiorizar e refletir. Cuide de si, dos outros, do planeta. Pare de consumir, de se consumir e de se perder, pare de poluir. Sejamos mais afetuosos e solidários. O signo de Câncer também é ligado à maternidade, a gestação e o ventre. É neste ninho, agora apartados, que temos a oportunidade de gerar este novo ser, nós mesmos. Ser que depois disso tudo vai renascer em outra qualidade. Estamos passando pelas dores do parto.

#Saturno, o planeta que corresponde a #Capricórnio, faz uma entrada breve no signo de #Aquário (do qual é co-regente) entre 22/3 e 1/7, quando retorna para Capricórnio. Em dezembro ingressa novamente em #Aquário onde transitará por dois anos. A atual passagem por Aquário sinaliza claramente nossa situação de distanciamento (Saturno) social (Aquário), assim como o meio que temos para nos comunicarmos uns com os outros à distância, inclusive em grupos (Aquário) através da tecnologia dos smartphones, computadores e a internet (Aquário). Há responsabilidade e comprometimento (Saturno) com o coletivo (Aquário).

Em dezembro #Júpiter também estará em #Aquário e formará uma conjunção com Saturno neste signo. Aquário, o #Aguador, simboliza a humanidade, o coletivo, o espírito de comunidade. O farol que ilumina o caminho é a cooperação, a ajuda mútua e realizar os ideais aquarianos de igualdade, fraternidade e liberdade. Se faz necessário sermos mais altruístas e menos predadores.

Este é um encontro muito importante, pois assinala o início de um ciclo dos próximos 200 anos com esses astros fazendo conjunção no elemento Ar. Começa com o signo de Aquário e a cada 20 anos ocorrerá em um dos signos de Ar (Gêmeos, Libra, Aquário). Nos últimos 200 anos vivemos o ciclo de elemento Terra, materialidade, e passaremos 200 anos no ciclo do Ar, elemento da atividade mental e dos relacionamentos humanos. Uma mudança de atitude e de pensamento. Além disso, em 2023-24 Plutão se moverá para Aquário e em 2025 Urano entrará em Gêmeos, incrementando ainda mais a ventania nas cabeças, o que sugere tempos mais humanistas e uma espécie de nova Renascença.

Vivemos uma longa transição da #EradePeixes para a #EradeAquário, as energias de ambas estão misturadas, é um processo. O marcador astronômico do início da Era de Aquário se dá entre os anos 2.300 e 2.400. Há vários sinais do processo aquariano acontecendo faz tempo, tais como revoluções sociais e progresso tecnológico, refletidos em posições planetárias neste signo. Mais ou menos desde o final do século XVIII, gradualmente no século XIX, se acentuando no século XX e ultra acelerando no século XXI. O ritmo da mudança de paradigma mais que duplica a cada década. Alguns exemplos são a Internet, a Inteligência Artificial, a Biotecnologia e a Nanotecnologia.

A grande mudança é dentro da gente. E cada um faz a sua parte no grande todo. Há que fazer o necessário, ter compaixão e solidariedade, cooperar, dar apoio, ter empatia, escutar os outros, se escutar, mudar velhos hábitos que não servem mais, desapegar da matéria que prende e escraviza. Fundamental nos trabalharmos internamente também, buscar o autoconhecimento. Você conhece a sua própria mente? Pratique meditação. Precisamos estar mais preparados para o novo ritmo dos acontecimentos.

Na jornada de evolução, volta e meia aparece um desafio para nos fazer crescer. Como o que vivemos agora e como tantos no passado e os muitos que acontecerão no futuro. Temos que trabalhar bastante. Uma das manifestações da #transição da Era de Peixes para a Era de Aquário é o contexto ligado ao oposto complementar de Peixes, o signo de #Virgem, signo de elemento Terra fortemente ligado à Mãe Natureza, às ciências, à saúde, à limpeza e ao trabalho dedicado no esforço de organização e aperfeiçoamento. Há um convite para sanar aquilo que está doente, para cuidar de nossa casa e limpar o estrago que estamos fazendo no planeta. É urgente salvar nossa Nave-Mãe, que nos transporta pelas ondas dos cosmos, cuidar de nossa casa-corpo e cuidar uns dos outros, esse imenso cardume que somos, grande mar de onde viemos todos, gestados no ventre da Vida. De perto todo mundo é igual.

Há desafio e oportunidade. É preciso “aprender a só ser”. Além de ficar mais perto de seus queridos, assistir séries e filmes, fazer cursos, ler livros, ouvir e fazer música, aproveite para praticar meditação, no mínimo uma vez ao dia. Sente com a coluna reta, respire e observe sua respiração. Mente tagarela, muitos pensamentos? Observe os pensamentos, eles passam, como as nuvens. Volte a observar a respiração, o ar entrando e saindo. Tudo passa. Isso também passará. E não seremos mais como antes. Você será?