Amanda Costa

Astrologia Poética

Drops Astrais

#poema em tempos escorpianos:
17/11/2017

ela emerge do fogo do poema
ave águia dragão
sou passageira do sonho dela
e navego
e navego
perdi todas as minhas peles e estou queimando
acordei no alto de uma montanha e vi o céu ao avesso
minhas vidas viraram estrelas, nebulosas
e navego
e navego
estou na margem do mundo
e me avisto no meio das chamas
meu olho é o fogo
e meu corpo desde sempre é ar