Amanda Costa

Astrologia Poética

Céu da Semana



do invisível ao visível
massa e energia em interação
o barro nas mãos do artista
e a beleza que emerge
casa em modelagem
é o ser fecundado tomando corpo
nascendo na forma
abrindo portas de percepção
do inaudível ao canto
do intocável à carícia
do inodoro ao perfume
do sensabor ao beijo
do invisível ao visível

Vida, mesmo quando não vista. Ainda que tudo pareça igual, mudança. Assim é a Lua Nova, sempre presente no arco da luz, abraçada com o Sol, porém não vista. Todavia avisa, ressoa entranhas e veios: é hora de revisitar mundos de dentro, de ler os pulsos, percorrer meridianos e estender horizontes. Na Nova de Touro (26/4) potência para buscar a forma no informe e abrir clareiras, construir moradas de calor.

Vênus reingressa em Áries em 28/4, onde transita até a 6/6, signo onde esteve recentemente entre 3/2 e 2/4. Recordando, neste signo de elemento Fogo, a deusa do amor contribui com temperos mais picantes, levantando as chamas e aquecendo o caldo dos afetos. Anuncia novos inícios, anima as interações entre as pessoas, os relacionamentos e os romances. Harmonizar as forças de dentro e de fora é chave da alquimia, alimento de cada dia.

Energias de elemento Terra, ligado à materialização, às coisas do mundo concreto e objetivo, à estabilidade e à permanência se compõem com energias de elemento Fogo, relacionado a ação, impulso e iniciativa para que coloquemos nossas intenções em prática. Se canalizarmos nossas forças, centrados e focados, poderemos viver um período fértil de realizações.

Tudo se recicla e se renova. Depois do salto, a semente cai no solo, mergulha como raiz e será asas, flor de volta ao céu.